29
Jul
postado em Beleza Dicas Lifestyle

Mais do que ter muitos produtos de beleza, maquiagens, cremes e acessórios, a gente sonha em ter isso tudo organizadinho, né?
A blogueira
Lala Rudge deu super-dicas para deixar nossa penteadeira prática e acessível com nossos produtinhos mais amados.

Objetos do dia-a-dia, dão um charme especial aos recipientes. Por exemplo, um balde de gelo serve para guardar secador de cabelo, escovas e etc; canecas guardam lápis delineadores e máscaras de cílios; bandejas para as sombras...

Separe os produtos por categorias. Defina como é melhor para você, se for a cor, o produto ou a finalidade. Como todas as bases, primers e pós mais claros juntos; ou separe base-com-base, primers-com-primers.

O que você mais usa, deixe onde é mais fácil bater o olho e acessá-los. 

Um carrinho gaveteiro facilita o transporte e guarda todos os produtinhos. Você pode usar algum utensilio similar para isso.

Lembre que deixar as maquiagens no banheiro não é a melhor opção. A umidade do banheiro pode craquelá-las ou até contaminar com fungos. Deixe no banheiro os cremes, desodorantes e perfumes. 
Outra dica é cuidar com a validade. Se não estiver mais no prazo, descarte.

 

23
Jul
postado em Cool Lifestyle

Estamos aqui hoje para dizer que os mitos "vinho bom custa caro" e "o Brasil não tem vinho bom" estão indo por água abaixo. 

Sabem por que? Porque três vinhos brasileiros, que custam menos de R$ 30, estão na lista do 100 melhores vinhos do mundo. E como se não bastasse para a nossa alegria, eles são produzidos aqui na Serra Gaúcha, do ladinho da nossa fábrica!

São eles:

* Aurora Espumante Moscatel,  56º lugar;
* Aurora Reserva Merlot 2011, 65º lugar;
*  Garibaldi Espumante Moscatel, 97º lugar.

Para chegar à lista final, a Associação Mundial de Jornalistas e Escritores de Vinhos e Licores (WAWWJ), avaliou cerca de 650 mil bebidas.

    

17
Jul
postado em Lifestyle Dicas

Viajar é sempre ótimo e merecido depois de uma temporada cheia de trabalho, não é? Então, se você está planejando viajar para New York, que tal conhecer o melhor do lifestyle de Manhattan?

Os rooftops são uma ótima! São os famosos bares que, na maioria das vezes, estão instalados nos terraços dos hoteis. Durante o outono e inverno, funcionam com áreas cobertas, mas nos meses mais quentes, é fenomenal.
Selecionamos alguns dos mais badalados rooftops para vocês.

 

Le Bain: Fica dentro do Standard Hotel. O legal é ir no verão, já que tem uma piscina dentro do bar (e bastante gente entra mesmo na água). Quando o tempo está bom a parte de fora fica toda aberta e dá pra aproveitar toda a vista da cidade, que é linda!
848 Washington St, New York, NY 10014

 

Night of Joy: Esse não fica em hotel, mas é um bar bem legal em Williamsburg que tem um terraço super charmoso e mesa de sinuca no primeiro andar. Está sempre cheio de gente descolada e bacana!
667 Lorimer St, Brooklyn, NY 11211 

 

Top of the Standard: É o antigo Boom Boom Room, que também fica no Standard Hotel. É um ótimo lugar para tomar uns drinks com as amigas. A indicação fica para o “Champagne Cocktail” e o “Burgers Belle Epoque”, que são deliciosos!!! São dois mini hambúrgueres com foie gras e trufa! Além disso, o lugar é lindo, todo envidraçado e você contempla toda a vista  - espetacular! 
848 Washington St, New York, NY 10014 

 

Penthouse 808: Esse fica em Long Island City, no Queens, e é simplesmente encantador! A vista é incrível.
8-08 Queens Plaza S, Long Island City, NY 11101 

 

Whyte Hotel: Rooftop badaladinho de Williamsburg! Sempre tem algum famoso aparecendo por lá. No frio é mais complicado porque grande parte do local é aberta e eles não fecham, então fica limitado ao bar, que não é muito grande. A vista para Manhattan é linda e os drinks são ótimos!
80 Wythe Ave. at N. 11th Williamsburg, Brooklyn, NY 11249

 

230 Fifth: é bom chegar um pouco antes do pôr-do-sol, que é o horário mais bonito de NY, quando a cidade começa a acender e o espetáculo é indescritível.
(230 5th Ave, New York, NY 10001)

15
Jul
postado em Biamar

Nascemos em 1986. Investimos em tecnologias, matérias-primas. Apresentamos muitas coleções, todas alinhadas com as tendências de moda, para consumidores de alma jovem e estilo próprio. Somos hoje uma marca conceituada no mercado de malharias do Brasil. Buscamos a qualidade máxima, do início ao fim da produção das nossas peças. 

Nossa fábrica de mais de 7.500 metros quadrados, em Farroupilha, produz malhas e tricots para aquecer o corpo e o coração de quem usa. 

Estudamos, criamos, planejamos e crescemos. Completamos 28 anos de puro amor pela moda e por cada uma das peças que saem da nossa fábrica.

13
Jul
postado em Lifestyle Biamar

Lembram do ensaio de espera pela Clara, que contou com um tricot ombré lindo nosso em um dos looks? A Cy Severo registrou mais uma vez esse momento lindo em uma família com a Biamar presente, agora no aguardo da Vanessa e do Maciel pelo Miguel.

Pouca fofura essa miniatura de suéter Biamar para deixar o Miguel bem quentinho? Nos derretemos!

24
Jun
postado em Lifestyle Cool

Estamos falando de dois movimentos, um deles fez com que a Versace investisse em gargantilhas com spikes, rebites e tachinhas em vestidos, saias e calças de vinil e látex. O outro inspirou a Saint Laurent a dedicar um desfile inteiro, considerado polêmico, à estética camisa-de-flanela-xadrez de Kurt Cobain.

O punk é uma tendência cultural que aparece na década de 70. Ele se destaca na Inglaterra, com movimentos juvenis que defendiam ideologias apartidárias, liberdade religiosa e de expressão. A partir dessa movimentação social, ela reflete diretamente no comportamento das pessoas. Na opinião da estilista Thaís Perrône: “a moda, música, literatura, e a arte, todos passam a adotar uma postura de agressividade e de revolução dos bons costumes. Desde a banda Sex Pistols, o The Clash, dos Ramones até a loja SEX da Vivienne Westwood. Foi através de representantes como eles que o 'visual' característico desses jovens apareceu e acabou por se tornar a 'moda punk'”.

A estilista conta que o punk passou a ser moda a partir do momento em que um grande grupo o adotou literalmente como ‘luta social’. “Essa moda é caracterizada pela rebeldia, pela atitude e pelo faça-você-mesmo. Eram calças rasgadas, spikes, estampas de spray, moicanos, piercings, tatuagens, muito preto, muitas frases de protesto, coturnos e correntes. Basicamente, o 'grito da moda'”, disse Thaís. Ela nos conta que o objetivo principal era chocar e que a partir dessa 'revolução visual', o punk era por minorias. Hoje ele é consumido pelas grandes massas e isso soaria irônica a algum tempo atrás. “Um bom exemplo disso é que hoje você paga mais caro para comprar uma calça jeans rasgada e com aspecto de longo uso do que uma calça com visual limpo e com 'cara nova'. E a pessoa que compra essa calça mais cara não necessariamente adota a ideologia radical” disse Thaís.

            


O punk é uma movimentação social e cultural que trouxe uma estética inovadora que usamos até os dias de hoje. A Thaís cita como exemplo o último desfile de inverno 2014 de Jean Paul Gaultier, que retrata exatamente essa releitura de um período histórico que passa a ser informação de moda. Afinal de contas, não é só o punk que passou por uma inovação com o passar dos anos. Segundo o Luciano Marin e o Charles Cenci, ambos designers, o grunge hoje está bem longe do que o movimento era no ápice dos anos 90. “O Grunge sempre foi desleixado e quando as coisas acabam virando moda ou ficando legal para todo mundo, deixa de ser grunge. Agora, se vamos falar de moda e para marcas que vivem disso, é muito legal e importante, pois é um movimento muito forte e que influenciou muitas gerações e continua fazendo isso. Não consigo ver como uma reinvenção, mas como uma interpretação”, disse Luciano Marin e acrescenta: “Calças rasgadas e camisa xadrez ainda fazem parte do nosso vestuário, a influência daquela época é constante e ter uma banda era requisito obrigatório”.


Como todo grande movimento musical, o grunge também influenciou outras esferas de consumo jovem na época e provocou uma verdadeira rebelião. Priorizando a simplicidade e a não ostentação, os artistas usavam calças rasgadas, camisas de flanela, sapatos gastos, suéters velhos e botas. Podemos dizer que o grunge teve seu início com duas bandas, o Soundgarden e o Green River. Do Soundgarden saíram, inclusive, os fundadores das bandas Mudhoney e citada Pearl Jam. Mais tarde, a meteórica carreira do Nirvana chega para ocupar o seu devido lugar. “O Grunge nos influenciou de maneira direta, como somos caras mais velhos, acompanhamos o nascimento do movimento Grunge no Brasil. Ficávamos a espera da chegada dos discos nas lojas ou de alguma fita gravada por algum amigo que gravou de outro amigo que alguém trouxe da gringa (risos). Isso era muito divertido. Quando a MTV entrou no Brasil via antena parabólica, íamos na casa de um amigo que tinha, foi ali que conhecemos todas as bandas e sabíamos quando os clipes iam ser lançados, com data e hora marcada”, disse Charles Cenci.

“O nosso ambiente de trabalho tem uma pegada Grunge na decoração, no estilo do trabalho e, é claro, a música faz parte do nosso dia a dia. A rádio Grunge (radiogrunge.com) toca direto e a nossa roupa já não é mais tão grunge quanto antigamente, até por que não dá pra ser assim para sempre (risos), é uma pena! As pessoas não nos levam tão a sério quando estamos assim no ambiente coorporativo e isso pode prejudicar os negócios, o que é ruim”, concluiu Charles Cenci.Os elementos dessas duas ideologias continuarão presentes no mundo da moda. Até mesmo os sites mais visitados de streetstyle mostram elementos marcantes dos dois movimentos, assim como nas produções das fashionistas em torno dos desfiles.

DISCOS PUNK: Ramones, Halfway to sanity (I wanna live), Sex pistols, Never mind the bollocks here's the sex pistols (God save the queen), Misfits, Walk among us (All hell breaks loose), The clash, Londn calling (London calling), Iggy and the stooges, Raw power (Gimme danger), Ratos de porão, Anarkophobia (Morte ao rei).

DISCOS GRUNGE: Nirvana, Nevermind (Smells like teen spirit), Pearl Jam, Ten (Alive ou Even flow), Soundgarden, Superunknow (Black hole sun), Alice in Chains, Facelift (Man in the box), Screaming Trees, Sweet Oblivion (Hearly lost you), Melvins, Houdini (Lizzy)

(Por Matilda Curadoria)

 

13
Jun
postado em Cool Lifestyle

Com a Copa a todo vapor, os olhos do mundo se voltam para o Brasil e para o futebol acontecendo aqui. Nós estamos na torcida, mas também aproveitamos para observar em meio a todo esse espetáculo aquilo que mais nos interessa: a moda! Por isso, fizemos uma listinha com as namoradas de jogadores que mais esbanjam estilo por aí para vocês conferirem e se inspirarem.

Sara Carbonero, namorada do espanhol Iker Casillas

  

 

Melissa Satta, casada com o meia Kevin-Prince Boateng

   

 

Irina Shayk, namorada de Cristiano Ronaldo

   

 

Shakira, casada com Gerard Piqué

   

 

E claro que não poderia faltar a musa Victoria Beckham, esposa de David Beckham

   

 

E aí, estão batendo um bolão de estilo, não estão?

09
Jun
postado em Dicas Lifestyle

O Dia dos Namorados está chegando e os casais se dividem: tem os que adoram sair para jantar e curtir um cinema ou um passeio fora de casa, mas também tem os que preferem fugir de tudo e aproveitar a noite juntos no aconchego do lar. Por isso, se você e o seu amor fazem parte do segundo time, separamos uma lista de filmes ótimos para esse momento:


Para os apaixonados por romances com um fundo de drama:


Para sempre


Paige e Leo (Rachel McAdams e Channing Tatum) formam um feliz casal recém-casado cujas vidas são transformadas por um acidente de carro que deixa Paige em coma. Ao acordar com uma perda de memória severa, Paige não se lembra de Leo, mas apenas da confusa relação com seus pais (Sam Neil e Jessica Lange) e do ex-noivo (Scott Speedman) por quem ela talvez ainda sinta algo. Apesar destas complicações, Leo luta para conquistar seu coração novamente e reconstruir seu casamento.

Amor e outras drogas


Jamie Randall (Jake Gyllenhaal) é um sedutor incorrigível do tipo que perde a conta do número de mulheres com quem já transou. Após ser demitido do cargo de vendedor em uma loja de eletrodomésticos, por ter seduzido uma das funcionárias, ele passa a trabalhar num grande laboratório da indústria farmacêutica. Como representante comercial, sua função é abordar médicos e convencê-los a prescrever os produtos da empresa para os pacientes. Em uma dessas visitas, ele conhece Maggie Murdock (Anne Hathaway), uma jovem de 26 anos que sofre de mal de Parkinson. Inicialmente, Jamie fica atraído pela beleza física e por ter sido dispensado por ela, mas aos poucos descobre que existe algo mais forte. Maggie, por sua vez, também sente o mesmo, mas não quer levar adiante por causa de sua doença.

Ps: eu te amo


Holly é uma jovem feliz e apaixonada. Entretanto, a morte de seu marido deixa-a completamente atordoada e ela entra em depressão. Mas, um dia ela encontra uma série de cartas escritas por seu marido antes de morrer e elas, inesperadamente, ajudam a aliviar sua dor e a guiam para uma nova vida. Com Gerard Butler e Hillary Swank.

 

Para os que preferem romances de época com um fundo de drama:


A jovem rainha Vitória


Na véspera do seu 18º aniversário e da sucessão do trono de Inglaterra, a jovem Princesa Vitória (Emily Blunt) encontra-se no centro de uma guerra pelo poder real. Mas será o seu romance com Albert (Rupert Prince) que irá determinar a força do seu reinado. Conseguirá ela dedicar a vida ao seu país e o coração ao homem que ama?

Água para elefantes


Jacob Jankowski (Hal Holbrook) já passou dos 90 anos e não consegue esquecer seus momentos da juventude nos anos 30, período difícil da economia americana, que o levou a trabalhar num circo. Foi lá, enquanto era jovem (Robert Pattinson) e um ex estudante de Veterinária, que ele conheceu a brutalidade dos homens com seus pares e também com os animais, mas encontrou a mulher por quem se apaixonou. Marlena (Reese Whiterspoon) era a Encantora dos Cavalos, a principal atração e esposa do dono do circo: August (Christoph Waltz) um homem carismático, mas extremamente perigoso quando suas duas paixões estavam em jogo.

Orgulho e preconceito


Inglaterra, 1797. As cinco irmãs Bennet - Elizabeth (Keira Knightley), Jane (Rosamund Pike), Lydia (Jena Malone), Mary (Talulah Riley) e Kitty (Carey Mulligan) - foram criadas por uma mãe (Brenda Blethyn) que tinha fixação em lhes encontrar maridos que garantissem seu futuro. Porém Elizabeth deseja ter uma vida mais ampla do que apenas se dedicar ao marido, sendo apoiada pelo pai (Donald Sutherland). Quando o sr. Bingley (Simon Woods), um solteiro rico, passa a morar em uma mansão vizinha, as irmãs logo ficam agitadas. Jane logo parece que conquistará o coração do novo vizinho, enquanto que Elizabeth conhece o bonito e esnobe sr. Darcy (Matthew Macfadyen). Os encontros entre Elizabeth e Darcy passam a ser cada vez mais constantes, apesar deles sempre discutirem.

 

Para os que gostam de uma boa comédia romântica:

Casamento grego


Toula Portokalos (Nia Vardalos) tem 30 anos, é grega e trabalha no restaurante de sua família. O sonho de seu pai é vê-la casada com um grego, mas ela espera algo mais da vida. Com muito custo Toula consegue convencer seu pai a lhe pagar aulas de informática, como forma de melhorar seu trabalho. No curso ela conhece e se apaixona por Ian Miller (John Corbett), sendo correspondida. Porém, Ian é inglês e por causa disso eles decidem manter seu namoro em segredo. Mas logo eles são descobertos, desencadeando um processo de aceitação para Ian, para que ele possa se adequar às tradições gregas.

De repente é amor

Oliver (Ashton Kutcher) e Emily (Amanda Peet) se conhecem em um vôo que cruza os Estados Unidos. Ele é um recém-formado que procura seguir um cronograma rígido para sua vida, de forma que consiga alcançar o sucesso profissional o mais rapidamente possível e também encontrar o amor de sua vida. Já ela é espontânea e indisciplinada, do tipo que prefere ver aonde a vida leva ao invés de fazer planos para o futuro. Oliver e Emily imediatamente sentem atração um pelo outro, mas as características de ambos são incompatíveis. Durante os 7 anos seguintes eles se encontram periodicamente, mas tudo parece conspirar para que eles sempre estejam separados.

Amor a toda prova


Cal Weaver (Steve Carell) tem quarenta e poucos anos e leva uma vida perfeita, com um bom emprego, filhos e um casamento com a namorada do colégio, Emily (Julianne Moore). Até que, ao descobrir que Emily o está traindo e quer o divórcio, sua vida desaba por completo. Forçado a voltar ao mundo dos solteiros, ele enfrenta as dificuldades habituais de quem não sabe mais como se portar para se aproximar de uma mulher. É quando entra em cena Jacob Palmer (Ryan Gosling), um amigo que passa a lhe dar algumas dicas.

 

Para os que gostam de uma boa comédia romântica com uma dose apimentada:

Sexo sem compromisso


Emma e Adam são melhores amigos, mas isto mudará quando, seguindo seus impulsos, começam a ter relações sexuais. E, mesmo que a princípio decidam manter sua condição de amigos, esta promessa será impossível de cumprir. Com Natalie Portman e Ashton Kutcher.

Amizade colorida


Jamie trabalha para uma empresa de recrutamento de profissionais e funciona como o elo que leva Dylan para um cargo em Nova York. Jovens, bonitos e carentes, os dois não demoram a transformar a amizade em algo mais, só que ambos fazem um pacto de que terão apenas sexo, sem qualquer envolvimento emocional. Mas isso não dura para sempre. Com Justin Timberlake e Mila Kunis.

A verdade nua e crua


Abby Ritcher, produtora de um programa matutino é forçada a trabalhar com Mike Chadway, o machista apresentador de um quadro sobre relações. Logo, Mike decide provar suas teorias a Abby e a faz passar por uma série de testes hilariantes. Com Gerard Butler e Katherine Heigl.

 

Para os que moram longe um do outro:

Amor à distância


Erin e Garrett começam a sair juntos sem terem a pretensão de começar um relacionamento sério, mas eles acabam se apaixonando. O problema é que Erin estava com planos para mudar de cidade e no momento de sua viagem, Garrett decide se declarar. Depois disso, os dois começam um relacionamento a distância … muito engraçado!

Loucamente apaixonados


Anna é inglesa e estava fazendo um intercâmbio no Estados Unidos, quando começou seu relacionamento com o Jacob. Logos depois do seu visto vencer, ela decidiu continuar no país para ficar mais alguns meses com seu amor. Porém ela precisou voltar para seu país e depois disso não conseguiu voltar aos Estados Unidos, por ter deixado vencer o visto; logo, eles passaram a ter uma difícil relação a distância.

Querido john


John Tyree (Channing Tatum) é um jovem soldado que está em casa, licenciado. Um dia ele conhece Savannah Curtis (Amanda Seyfried), uma universitária idealista em férias, por quem se apaixona. Eles iniciam um relacionamento, só que logo John precisará retornar ao trabalho. Dentro de um ano ele terminará o serviço militar, quando poderão enfim ficar juntos. Neste período eles trocam diversas cartas, onde cada um conta o que lhe acontece a cada dia.

 

E para os que fogem de qualquer clichê:

Questão de tempo


Ao completar 21 anos, Tim (Domhnall Gleeson) é surpreendido com a notícia dada por seu pai (Bill Nighy) de que pertence a uma linhagem de viajantes no tempo. Ou seja, todos os homens da família conseguem viajar para o passado, bastando apenas ir para um local escuro e pensar na época e no local para onde deseja ir. Cético a princípio, Tim logo se empolga com o dom ao ver que seu pai não está mentindo. Sua primeira decisão é usar esta capacidade para conseguir uma namorada, mas logo ele percebe que viajar no tempo e alterar o que já aconteceu pode provocar consequências inesperadas.

500 dias com ela


Quando Tom, azarado escritor de cartões comemorativos e românticos sem esperanças, fica sem rumo depois de levar um fora da namorada Summer, ele volta a vários momentos dos 500 dias que passaram juntos para tentar entender o que deu errado. Suas reflexões acabam levando-o a redescobrir suas verdadeiras paixões na vida.

O lado bom da vida


Por conta de algumas atitudes erradas que deixaram as pessoas de seu trabalho assustadas, Pat Solitano Jr. (Bradley Cooper) perdeu quase tudo na vida: sua casa, o emprego e o casamento. Depois de passar um tempo internado em um sanatório, ele acaba saindo de lá para voltar a morar com os pais. Decidido a reconstruir sua vida, ele acredita ser possível passar por cima de todos os problemas do passado recente e até reconquistar a ex-esposa. Embora seu temperamento ainda inspire cuidados, um casal amigo o convida para jantar e nesta noite ele conhece Tiffany (Jennifer Lawrence), uma mulher também problemática que poderá provocar mudanças significativas em seus planos futuros.


E então, qual vai ser o escolhido de vocês para essa noite? E que outros filmes vocês acrescentariam nessa lista?

04
Jun
postado em Lifestyle

Todos sabem que a região da Serra Gaúcha é conhecida pela produção de ricos vinhos. Mas o que muitos ainda não sabem é que no coração dessa terra também cresce o hábito de degustar cervejas artesanais. Talvez mais do que um costume, um hobbie que vem conquistando cada vez mais adeptos a degustar diversos rótulos de cervejas especiais. Para provar que essas afirmações são verdadeiras, conversamos com o Guilherme Mondadori Comim e com o Micael Canuto, sócios do bar Monasterium Cervejas Especiais. Além dos dois amigos, o bar é administrado por mais dois sócios que desde pequenos sempre curtiram a ideia de ter um bar. “O nosso gosto por cerveja artesanal cresceu de uma forma que nós sentimos a necessidade de planejar como seria o nosso próprio bar. Queríamos disponibilizar para as pessoas essa cultura de degustar cervejas especiais”, disse Guilherme.

Os quatro sócios viram em Caxias do Sul uma oportunidade de criar um lugar diferente onde a cerveja especial fosse valorizada. Por isso a ideia central do Monasterium é oferecer um ambiente agradável para que as pessoas reunir amigos e provar vários tipos de rótulos. “Investimos em rótulos de diversos lugares do mundo com intuito de agradar o público cervejeiro. Isso porque o nosso foco é o serviço especializado em esclarecer as dúvidas sobre os diferentes tipos cervejas e também temos o cuidado de servir a cerveja com o seu devido copo e esse é mais um diferencial”, contou Micael.


Os proprietários do bar são extremamente críticos com cervejas artesanais e preferem disponibilizar para venda somente as que eles acham boas. “Se nós queremos que o mercado cervejeiro cresça aqui na serra gaúcha temos que ser críticos quanto à produção de cerveja artesanal. Algumas pessoas até nos perguntam por que não temos uma cerveja mais barata, já que as especiais custam um pouco mais caro. Na realidade isso foge total da nossa proposta que é priorizar a cerveja pela qualidade e não pela quantidade”.


Para apreciar cervejas diferentes, o quesito degustação precisa estar mais apurado. Existem desde as pessoas mais iniciantes até as mais experientes. Perguntamos para o Guilherme o que eles sugerem quando um expert em cerveja visita o Monasterium, ele respondeu: “nós sempre perguntamos que estilo ele gostaria de beber. Mas normalmente a gente escuta ‘me vê uma boa’ e adoramos esse desafio. Até temos um cliente que frequenta o bar e ele gosta de cervejas com trigo. Ele sempre pede uma diferente toda vez que vem ao bar e quebramos a cabeça pra descobrir qual é a próxima pedida para agradar o cliente”.


Para quem já é mestre nos rótulos artesanais, eles indicam as novas cervejas da americana Brooklin Local 1, que usa uma receita belga em sua composição e tem um gosto bem peculiar que agrada à maioria. “Hoje em dia as pessoas estão provando mais as cervejas com maior quantidade de lúpulos, as ditas mais amargas. Vendemos muitas cervejas com essa característica no bar, como a Indian Pale Ale, acho que é uma questão de acostumar o paladar”, observa Micael. O Guilherme ainda acrescentou a importância da harmonização: “nós adaptamos o cardápio do bar para oferecer três tipos de harmonização com petiscos. Notamos que é uma tendência e a cerveja tem atualmente um leque de harmonização enorme. Versátil, usada tanto na produção do alimento, como acompanhamento”, conclui.

Por falar em produção de alimentos com cervejas artesanais, conversamos com o chefe de cozinha Fabrício Guerrero Darós. Ao perceber que o consumo de cervejas artesanais era muito popular em São Paulo, resolveu fazer o seu trabalho de conclusão do curso de gastronomia explorando tipos de cervejas nos pratos. “Essa relação de apreciar uma bebida diferenciada é algo que não era muito comum, pois muitos preferem beber quantidade e não qualidade. Vi isso se transformar de maneira considerável nos últimos cinco anos e com certeza boa gastronomia sempre pede bebidas que a completem bem”, disse Fabrício e completa: “a harmonização com cervejas está cada vez mais comum aqui no sul e a prova disso é que recentemente provei quatro aperitivos que harmonizavam com quatro tipos de shots de cervejas”.


Dessa mesma ideia de beber com qualidade foi que surgiu a cervejaria ORDEO. Segundo os representantes da ORDEO, Fabrício Ruzzarin, Giovanna Maioli e Felipe de Lavra Pinto Moraes estudos de viabilidade de implantação mostravam que a fatia do mercado nacional para cervejas artesanais era muito tímida, cerca de 0,2%, enquanto países da Europa e os EUA as cervejas premium e super premium representavam mais de 10% do consumo anual de cerveja em litros. “Esses dados comprovavam que ainda havia uma parcela significativa do mercado a ser conquistada no Brasil e que as pessoas, além de comer bem, queriam beber uma cerveja mais encorpada, de aroma e sabores diferenciados e que, obviamente, pudessem harmonizar com a nossa excelente e diferenciada culinária”, disse Fabrício Ruzzarin.


A Serra Gaúcha já esteja consolidada no ramo do vinho e do espumante, mas nos últimos anos, percebe-se o grande potencial do ramo cervejeiro com maior qualidade. “As cervejas artesanais, premium ou super premium estão revolucionando o padrão de consumo atual e o paladar dos consumidores mais exigentes. A cerveja sempre foi conhecida como uma bebida popular. Hoje, com a entrada dos tipos especiais, que contam com ingredientes selecionados, a fim de garantir uma qualidade superior, é que a cerveja está deixando de ser coadjuvante para se tornar a protagonista da boa gastronomia” observou Giovanna Maioli. Prova desse novo conceito é que diversos bares e restaurantes já estão disponibilizando suas cartas com harmonizações criadas por grandes chefs.


Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento e da Associação Brasileira de Bebidas apontam para a existência de mais de 200 microcervejarias no País, concentradas principalmente nas regiões Sul e Sudeste. As cervejas artesanais correspondem a 0,15% do mercado brasileiro de cervejas, mas a expectativa é de que representem 2% da indústria nos próximos dez anos. “A busca por uma melhor qualidade de vida é um dos motivos que nos faz crer nesse aumento da produção da cerveja artesanal. É a propagação natural do lema: ‘Beba menos, beba melhor’. Não poderíamos deixar de citar, também, a força da região da serra no cenário turístico e da boa gastronomia (italiana e alemã), que conduz ao consumo de boas cervejas e de bons vinhos”, disse Felipe de Lavra Pinto Moraes.


Ao perguntar sobre qual é a diferença da cerveja normal para a artesanal, a resposta do Fabrício Ruzzarin foi: “todas. Desde a seleção dos ingredientes até o tempo de fabricação. Como não há nenhum tipo de aditivo químico, em geral as cervejas artesanais ficam mais tempo nos tanques, maturando. Essa etapa de maturação é essencial para que a cerveja possa atingir o seu equilíbrio, enaltecendo todas as características de uma cerveja de qualidade. É bem comum ouvirmos a seguinte frase: ‘depois que passei a beber cerveja artesanal, não consegui mais beber a cerveja comum’. Isso mostra a maturidade do paladar dos apreciadores de cerveja”, conclui ele.


Já que estamos falando de apreciadores de cerveja, procuramos o relações internacionais, Gustavo Gazzola. A opinião dele é que mundo da cerveja artesanal esta em expansão a todo vapor. “A cerveja artesanal é atualmente o que o vinho foi nos anos 90 no Brasil. Caxias está engatinhando ainda no mundo da cerveja artesanal, porém outros cantos da serra já estão mais preparados e imersos nesse mercado, como, por exemplo, a cidade de Nova Petrópolis que já tem uma tradição em fazer cervejas, assim como a cervejaria Abadessa que está na serra há quase 10 anos. Agora com o boom do homebrewer, que são pessoas que fazem sua própria cerveja em casa, a difusão da cerveja artesanal está cada vez mais presente no paladar das pessoas”.


Pode passar pela cabeça de algumas pessoas que cerveja artesanal não combina com a estação mais fria do ano. “Eu discordo totalmente, cerveja vai bem a qualquer época. Se formos analisar os países que mais consomem cerveja, como, por exemplo, a República Tcheca, a maior consumidora de cerveja per capita do mundo, tem um inverno bastante rigoroso e não deixa de consumir cerveja. O estilo Pilsen, que foi inventado pelos tchecos, tem como característica ser uma cerveja leve, o que cai no conceito popular de cerveja pra ser consumida no verão, porem é o estilo mais consumido nos países da antiga União Soviética, que passam um bom tempo do ano debaixo de neve. É claro que existem estilos de cerveja que combinam mais com o inverno, por serem mais robustas, encorpadas e terem uma graduação alcoólica mais elevada”.


Para os iniciantes dessa nova cultura cervejeira, o Gustavo indica: “Degustar cerveja artesanal é um processo diferente, não dá pra se atirar na primeira. Se tu não estás acostumado e tomar uma Indian Pale Ale de cara, vai achar uma porcaria, amarga e forte. Eu indico o pessoal sempre a começar pela Weiss, é um clássico das cervejas especiais. Depois da Weiss eu indicaria uma Witbier, que é uma cerveja clara, mas já tem um sabor diferente. A partir dai podes ir degustando conforme o teu paladar indica”.


Concordamos que para provar diversos rótulos as pessoas também tem que estar abertas a novas experiências. “Já provei algumas bizarrices por aí, principalmente algumas minhas quando comecei a fazer (risos), mas duas bem diferentes que provei foram uma Brew Dog Trashy Blond que é uma Pale Ale muito estranha com vários sabores, não sei descrever. Outra que eu tomei que é um absurdo é a Invicta 1000 IBUS, IBU é a medida internacional de amargor das cervejas e geralmente essa medida em uma cerveja artesanal normal fica em torno de 30 IBUS. O amargor desta cerveja está fora do normal, tão amarga que tu não sente o gosto da cerveja, seca a boca é algo maluco”.


E se depois de ler essa matéria alguém ficou com vontade de produzir sua própria cerveja ou de entender mais sobre elas, o Gustavo indica: “Estudem, pois é um processo complicado. Não é pra qualquer um, tem que se dedicar muito e dominar todas as etapas do processo. Há milhões de cursos pelo Brasil e em Porto Alegre ocorrem com certa frequência. E degustem muito, quanto mais vocês degustarem mais vão entender sobre cerveja e mais vão saber qual é seu estilo preferido”.

(Por Matilda Curadoria)

 

23
Mai
postado em Tips and Trips

Nas nossas andanças pela belíssima Itália conhecemos o Lago di Como. Ele está situado no coração da região de Lombardia, cerca de 50 km ao norte de Milão e fronteira com a Suíça. A área é dividida em duas províncias: Como e Lecco. A distância entre as cidades é de 40 km e ambas têm estações ferroviárias. Os principais aeroportos são o Malpensa, o Linate e Orio al Serio e estão situados próximos as cidades e ligados à elas por transporte público. 

Viajamos de trem para Como e logo na chegada o belíssimo lugar já havia causado comoção na equipe. Para saber um pouco mais sobre o famosíssimo Lago di Como, cenário não só da nossa coleção de inverno, mas também de cenas dos filmes de 007 e Onze Homens e Outro Segredo, resolvemos conversar com a economista Bernadete Vasques, que morou no norte da Itália durante um intercâmbio universitário e sempre ouvia falar do lago, até que um dia planejou visitar o lugar.

“Fui pela primeira vez com uns amigos italianos, e de cara amei o lugar. Depois retornei com minha mãe, quando ela veio do Brasil me visitar. Acabei voltando diversas vezes para encontrar amigos que moram em Como. Nessas outras idas, viajei com outra percepção. Eu não era mais turista, me sentia como uma nativa de Como mesmo, que acorda pela manhã e vê aquela beleza incrível através da janela da própria casa”.

A primeira impressão que a economista teve sobre o Lago di Como foi de um lugar super charmoso. “Era inverno, fazia bastante frio e as montanhas em volta estavam cobertas de neve. O charme era passear em volta do lago tomando um chocolate quente e curtir a vista. De cara me apaixonei por Como! Até mesmo porque é impossível não se apaixonar”. Segundo ela, os italianos frequentam o Lago di Como com mais frequência no verão, já que no inverno eles tem opção de ir para as montanhas esquiar. “No verão os bares com terraços ficam lotados em horário de happy hour para o famoso "apperitivo". Além disso, é possível fazer passeios de barco, lancha e visitar a região dos grandes casarões de celebridades como George Clooney, Elisabetta Canalis, entre outros”.

Bernadete acrescenta ainda que para chegar ao Lago di Como, do Sul para o norte da Itália, é preciso subir e depois descer uma colina e por isso, logo na chegada já se pode observar o lago e a cidade de Como através de uma vista panorâmica. “É incrível! Além de todo charme do lago, o centro histórico de Como é belíssimo! Assim como a maioria das cidadezinhas italianas, com igrejas muito antigas e ruas que mal passa um "cinquecento". Por se localizar quase na divisa com a Suíça, a cidade tem muito a influência do país vizinho, em questão de organização e limpeza. Eu me senti em um filme mesmo, podendo a qualquer momento esbarrar em algum famoso”, disse a economista.

“Acredito que além de ter amado o café que tomei à beira do lago num dia de inverno, a experiência mais interessante foi jantar na casa de um amigo italiano que morava num apartamento dos anos 500 e em pleno centro histórico! Era como voltar no tempo, numa cidade sensacional e com aquele cenário que só o Lago di Como te dá!” finalizou Bernadete.

O Lago di Como com certeza conquistou os corações de nossa equipe que ainda sonham com esse fantástico lugar rico em história e tradição. Seus belos jardins, igrejas românicas, montanhas, e a vista inacreditável do lago pintaram o cenário perfeito para os cliques da nossa coleção de inverno. Assim como a declaração da Bernadete Vasques, concluímos que a vida é muito curta para não conhecer esse lugar incrível. Não tem background melhor para emoldurar as nossas modelos na campanha, não é?

Postagens Anteriores